25.5.06

centralismo

escrevo sobre um tema que me toca particularmente. a deslocalização crescente de empresas e profissionais das áreas de serviços em TI para lisboa.
pergunto-me. será que não se justifica investir sustentadamente na deslocalização de empresas não só desta área, mas da generalidade de serviços, para outros centros urbanos? na minha perspectiva, decididamente sim.
conheço um número cada vez maior de pessoas que nos últimos anos desistiram de lutar contra a tendência de "emigração" para lisboa. o maior número de oportunidades, condições de trabalho e desafios na capital é substancialmente melhor.
assistimos nos últimos anos a esforços pontuais para o aproveitamento das melhores condições de mão-de-obra tendo como objectivo a redução de custos, principalmente na região norte. a infineon é o caso mais conhecido. será que em vez de pensarmos numa nova finlândia e em choques abstractos, não seria mais objectivo pensar e fornecer condições que permitissem vantagens competitivas face a empresas que optam e centralizam todos os serviços na capital? por exemplo, através do fornecimento de melhores condições fiscais e criação de parques de tecnologia. as vantagens seriam muitas. não só para as empresas que optassem pela deslocalização mas também para a própria região, criando postos de trabalho e oportunidades de desenvolvimento.
mas principalmente, esta tarefa passa por nós, os "emigrantes" internos. criando e perseguindo oportunidades que permitam a criação de postos de trabalho fora da região de lisboa.
o indivíduo ganha, a empresa ganha, a região ganha, o país ganha!

nuno tavares

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Infelizmente os senhores donos de Portugal (lisboetas, como lhe chamam) ainda não viram as coisas por esse prisma... continuemos a sobreviver.

5:44 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home