7.6.07

mínimo III

era quando as vozes da cidade se calavam que ele ouvia os sons mais inesperados. sempre novos. tudo com a intensidade de quem guarda, em cada madrugada, no calor do corpo, o único sentir que abre a janela ao orgulho. de repente abriu os olhos e viu-a dormir: "há sonhos que fazem sentido, quando as vozes da cidade se calam". porquê? "xiu... as vozes da cidade já se calaram".

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home